Blog

mindful eating

Mindful Eating

Postado em 13 de janeiro de 2020 por Natália Dourado

Mindful eating ou comer com consciência, é algo intrínseco, porém perdemos essa habilidade ao longo da vida, devido as inúmeras interferências do cotidianos, nos levando a comer algo, simplesmente por comer, e não pela necessidade real do nosso corpo. 

Resgatar essa habilidade e prestar atenção não só no que você come, mais como e porque você come, te traz independência e sustentabilidade alimentar

Comer consciente possibilita você:

Respeitar a sua própria sabedoria interior;

Usar todos os seus sentidos na escolha do que comer;

Reconhecer respostas aos alimentos, sem julgamento;

Se tornar consciente da fome e saciedade física;

Reconhecer que não há maneira certa ou errada para comer;

Aceitar que as suas experiências alimentares são únicas.

Segundo o mindful eating, temos 9 tipos de fome diferentes, todas elas podem influenciar positivamente ou negativamente na escolha alimentar. Dentre os tipos de fomes, 2 delas são consideradas “fomes reais”, fomes que demonstram a real necessidade do corpo, são elas, fome do estômago e fome celular.

A fome do estômago é mais fácil de ser percebida, pois trata-se do que chamamos popularmente de “fome de leão”. Aquela que sentimos um vazio no estômago, e o quanto antes for atendida, melhor.

Já a fome celular, essa de mais difícil percepção, é a fome do seu corpo, fisiologicamente falando, por exemplo: 

Na mulher, durante o ciclo menstrual, em sua maioria, é comum sentir uma vontade exacerbada de consumir carne e chocolate, isso porque durante esse período há uma necessidade verdadeiramente maior de consumir ferro e magnésio, e esses alimentos são fontes ricas desses nutrientes.

A percepção da fome celular (a fome de acordo com as reais necessidades do seu corpo) é muitas vezes negligenciada, levando você a não atender o que de fato o seu corpo precisaria naquele momento.

Comer consciente é essencial para todos!

As demais fomes, fome dos olhos, dos ouvidos, do nariz, da boca, do tato, da mente e do coração, também são importantes e estão presentes em todo o nosso contexto, exercitá-las positivamente é benéfico, mais quando não damos atenção a real necessidade do nosso corpo, acabamos nos deixando levar por elas e isso é muito comum.

Por exemplo, você acabou de almoçar e navegando pela internet se depara com a foto daquela sobremesa maravilhosa que acabou de ser lançada na doceria que fica no caminho de volta ao trabalho. Você acabou de almoçar, mais é muito provável que estimulado pela fome dos olhos experimente-a e comente com seus amigos, que serão também estimulados, desta vez pela fome dos ouvidos.

Por isso, é fundamental perceber se realmente está com uma fome real ou uma fome estimulada por outros fatores. É claro que essa percepção não será da noite para o dia, mais o quanto antes começar, mais rápido respeita-rá as necessidades do seu corpo.

Uma dica:

Antes de comer algo, faça uma auto análise e veja se está sendo estimulado por outros fatores ou se realmente você está com fome do estômago ou celular. A simples percepção te levará a uma atenção maior no ato de se alimentar e a não ter julgamento diante do alimento. A prática, aos poucos trará a você, a sustentabilidade alimentar necessária.

Agende aqui a sua Consulta

Agende sua consulta via Whatsapp


(12) 98214-3984